Impressoras 3D e a Indústria 4.0

Entenda porque as impressoras 3D estão revolucionando o planeta.

Por quê as impressoras 3D? O que é indústria 4.0? Nesse post iremos discutir um pouco sobre esses assuntos e apresentar a correlação existente sobre os mesmos.

Ao longo dos anos passamos por várias transformações e revoluções mas certamente um dos marcos mais importantes foi a 1ª Revolução Industrial (século XVIII), a qual ocorreu na Inglaterra. A partir da inovação da máquina à vapor, a ciência não parou mais e, muito rapidamente, a sociedade começou a sentir os efeitos da produção em massa fazendo uso de eletricidade. Henry Ford e sua famosa linha de montagem ficou famoso pelo que chamamos de ‘fordismo’. Era a 2ª Revolução Industrial.

Alguns anos depois, com o surgimento dos computadores, inicia-se o processo de automação. A 3ª Revolução Industrial seria marcada como a revolução que traz os robôs e processos de automação para dentro das fábricas. Embora, principalmente no Brasil, ainda perdurem empresas que estão muito longe da 3ª Revolução Industrial, a impressão 3D já começa a aparecer no mercado como uma tecnologia essencial para a 4ª Revolução Industrial.

Os sistemas Cyber Físicos, dentro das chamadas “Fábricas Inteligentes” são responsáveis por controlar todos os processos fabris de forma descentralizada. Atuando principalmente com IOT (Internet of Things ou internet das coisas), os sistemas, máquinas e equipamentos cooperam entre si e com seres humanos. E tudo, em nuvem, conectado em tempo real!

Impressão 3D = Manufatura Aditiva

O surgimento das tecnologias de impressão 3D traz à tona o conceito de manufatura aditiva. Embora a impressão 3D tenha surgido ainda na década de 80 (sim, 1980!!!), tornou-se popular e acessível aos meros mortais em meados dos anos 2000. A impressora 3D pode reproduzir qualquer desenho digital 3D em um produto (objeto físico) e esse processo é feito de maneira incremental, em camadas. Atualmente existem muitas tecnologias de impressão 3D e ao longo dos posts do blog irei falar mais detalhadamente sobre elas!

O método mais utilizado atualmente é o FDM (Fused Deposition Modeling), com essa técnica é possível criar objetivos utilizando filamentos plásticos (blendas poliméricas). Embora as máquinas de baixo custo ainda tenham algumas limitações para impressão de objetos complexos é interessante notar que a manufatura aditiva traz inúmeros benefícios se comparada aos procedimentos atuais. Imagine uma indústria que faz injeção de uma determinada peça plástica e utiliza um molde (ferramental) para este fim.  Via de regra, essa indústria produz muitas unidades da mesma peça todos os meses e depois de muitos meses, terá abatido o custo da ferramenta (os moldes geralmente são muito caros!).

O modelo tradicional não permite customização das peças, exige alto investimento inicial de ferramental e, em alguns casos, gasta muito mais material quando utilizada a manufatura subtrativa (por exemplo uma máquina fresadora, o objeto é esculpido, gera-se muito resíduo e perda de matéria-prima).

Perspectivas futuras

Com equipamentos cada vez mais acessíveis e a tecnologia de impressão 3D evoluindo muito ano após ano, as indústrias passam a utilizar cada vez mais esse tipo de recurso. Já existem cases no mercado de empresas como a GE, Adidas, Nike, Boing, Airbus e muitas outras, utilizando a impressão 3D para fabricação de peças (finais), nada de protótipo! O chão de fábrica da Indústria 4.0 é algo que é impressionante e ao mesmo tempo tenebroso. Como ficarão os empregos? O impacto será fortíssimo! A era da customização em massa está chegando, nossos produtos serão personalizados, a economia tende a mudar muito, alterando modelos de negócio e o mundo, possivelmente, menos globalizado, tendo em vista que as fábricas estarão muito próximas dos clientes.

Deixe um comentário aí!

Assine a newsletter e o canal no Youtube para ficar por dentro das novidades ?

Acompanhe e compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *